Qual a diferença em ser empreendedor e intraempreendedor?

Qual a diferença entre empreendedor e intraempreendedor?

Você sabe qual a diferença em ser empreendedor e intraempreendedor? Bom, primeiro vamos entender melhor do que se trata o primeiro.

Já faz um tempo que se fala muito na importância de ter um espírito empreendedor, não só no que diz respeito ao mercado de trabalho, mas também perante a vida, embora o termo esteja mais estritamente associado à carreira profissional.

Em tempos de instabilidade política e econômica, quadros que não são muito recentes e, por isso, trazem crises de tempos em tempos, muitos profissionais decidem tomar as redes da sua carreira.

Não só por sentirem-se desvalorizados em seus empregos ou porque o salário não é justo, mas sim, pelo fato de se falar tanto em desempenhar uma atividade prazerosa, em harmonia com os seus sonhos profissionais.

Mesmo em um emprego com um bom salário, o tempo mostra que faz parte da felicidade pessoal trabalhar em algo de que gosta.Por isso, cada vez mais profissionais das mais diversas áreas abrem mão do que é certo para buscar as incertezas em um negócio que possam gerenciar por conta, mas que tenha a sua cara, suprindo suas necessidades e podendo fazer do seu jeito. Esse é o empreendedor, um jeito de pensar tão estimulado atualmente.

E o intraempreendedor, do que se trata?

Qual a diferença em ser empreendedor e intraempreendedor?

Mais cedo ou mais tarde, iria surgir essa palavra, o intraempreendedor. Na atualidade, é o perfil de profissional mais procurado pelas empresas que precisam inovar, que necessitam de um empreendedor, mas que não queira seguir o seu próprio caminho, mas sim, estabelecer-se dentro de um negócio que já existe e fazer parte de uma equipe formada.

Ou seja, se os profissionais empreendedores estão saindo dos seus empregos para apostar no seu próprio negócio e quem geralmente faz isso são os funcionários que mais se destacam ou que teriam mais potencial para ajudar no crescimento de uma empresa, quem é que vai substitui-lo: o intraempreendedor.

É essa a principal diferença os dois:

Enquanto o primeiro sai da empresa para fazer as suas próprias escolhas, o intraempreendedor trabalha dentro de uma empresa, mas com o mesmo objetivo do outro: trazer inovação e avançar no mercado.

Afinal, de tempos em tempos, por mais que uma empresa esteja estável, é preciso que ela promova mudanças.

Uma dica que sempre dou a quem me procura para saber sobre o mercado e cenário atual é: não fique preso a uma mesma estratégia durante muito tempo. O mercado vive em transição e, para sobreviver no mundo dos negócios é preciso estar atento a isso.

Por isso, mudanças fazem parte do processo e você ganha mais quando consegue flexibilizar de acordo com as tendências.

Quem pode ser intraempreendedor

O profissional pode ser destacado dentro da própria equipe. Observe aquele que se diferencia pela visão de mercado, conhecimento da concorrência e facilidade para atuar com novas tecnologias.

Esse é o perfil do intraempreendedor e ele poderá assumir a responsabilidade por projetos de expansão, inauguração de novas lojas, criação e divulgação de novos produtos, experimentos e testes de outras fontes de investimento.

Sua função será a de fazer essa empresa crescer e, portanto, o intraempreendedor precisa ser aquele cara pró-ativo que veste a camiseta e toma a frente de qualquer ideia que sinta que pode fazer sucesso. O feeling desse cara deve ser impecável.

O seu papel é semelhante ao do consultor, porém com carta branca para fazer as mudanças necessárias, as quais vão posicionar a empresa, mais uma vez, na frente da concorrência.

Se você tem dúvidas sobre qual perfil se encaixa, pense no diferencial: você pretende fazer uma empresa crescer ou fazer sua empresa crescer? A liderança já está em você, agora é só escolher seu caminho e seguir em frente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *